Páginas

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Exposição | EsquecerSaramago













21 Maio de 2012| 31 Julho de 2012
2ª a 6ª feira | 09:00h às 20:00h
Sala Multiusos da Biblioteca FCT/UNL  
Inauguração: 21 de Maio de 2012 | 17:30h

Há, certamente, mortos que inspiram maior simpatia e escritores que são mais unanimemente apreciados. E nem todos os livros de um génio são incontornáveis. Nem toda a carreira pontualmente incensada é necessariamente irrelevante. O livro é uma coisa pública, podemos ter sobre ele opiniões. Devemos. Por vezes os livros ferem sensibilidades, por vezes criam-as. Às vezes geram anticorpos irreversíveis. Um livro pode às vezes ser muito chato. 
Este é um projecto íntimo, na forma singela como apresentamos vários valores emergentes da arte contemporânea, todos ligados à escola das Caldas, a ESAD.cr. São onze muito jovens artistas que se deixaram levar pela leitura de Saramago, muitos pela primeira vez. Estes artistas, a quem se junta Pedro Penilo, companheiro de palavras e ícones, convidam-nos a ler/reler/rever textos que conhecemos – pelo menos de vista… Desafiam-nos com pinturas, desenhos, ilustrações, símbolos e ressonâncias. Enigmas. Vamos ESQUECERSARAMAGO. 

Artistas Envolvidos:
Saiba mais

Performance de instalação acompanhada de guitarra ao vivo por D'Almeida Simões

Livro EsquecerSaramago




Fotografias da Inauguração
 





6 comentários:

  1. Olá boa tarde,
    Creio que por lapso, o link para o CV da artista Eunice Artur não está correcto.
    Cumprimentos e parabéns pela iniciativa.
    Manuel L.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Manuel L.
      Após verificação já foi corrigido o erro.
      Muito Obrigada.
      Isabel Maria Carvalho

      Eliminar
  2. Estará também presente a Pilar del Río?

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente por força maior não poderemos contar com Pilar del Rio.

      Com os melhores cumprimentos,
      Isabel Maria Carvalho

      Eliminar
  3. "Há, certamente, mortos que inspiram maior simpatia..." que frase infeliz meus caros. Há, certamente, um modo mais correcto e adequado de se referirem a Saramago.

    ResponderEliminar