Páginas

domingo, 5 de maio de 2013

Conversa | Labirinto e Laboratório: o (des)encontro Fé e Ciência



Video-difusão com o apoio do Laboratório de Elearning em:
http://sites.fct.unl.pt/elearning/pages/webcast

O Labirinto

Sonho que estou num quarto, quero escapar e há só uma janela.
Apercebo-me de que somente posso escapar por essa alta janela que está muito perto do tecto plano.
Consigo trepar até chegar a essa janela, atiro-me para o outro lado e ao cair verifico que o outro quarto é o mesmo.
Compreendo que, se continuo a fugir, isto vai continuar a repetir-se
e então sinto um pouco de nojo, de horror e no sonho, antes de acordar digo para mim:
este sonho é o sonho do labirinto...
Jorge Luis Borges

O Laboratorio

Termo originário do latim medieval, cujo significado é 'que se pode trabalhar', ‘lavorável’.

...Espero ter-vos demonstrado que o universo não está para além da capacidade do homem.
É o Eden, é o jardim que foi posto à sua disposição para que ele o cultive, para que ele o olhe.
O universo não é demasiado grande para o homem.
Não excede as possibilidades da ciência, nem a capacidade do espirito humano.
Pe Georges Lemaître

Todos, os não crentes na revelação acontecida na pessoa de Jesus,
mas também os que a acolhem,
estamos colocados perante o labirinto da existência.
Não raro os próprios pedreiros das catedrais medievais desenhavam no chão das mesmas um labirinto.
Tratava-se de um símbolo da peregrinação da existência e da tentativa de decifrar o seu sentido.
E tudo isso dentro de um determinado espaço — aquele que a fé ilumina.

Como me parece resultar dos dois textos apresentados em epígrafe,
talvez o coração do homem seja o mais vasto dos labirintos.
Mas também um não pequeno laboratório!
Lugar de experiências, tantas, de encontros e desencontros,
de esforços e verificação do que sabemos, do que intuímos e procuramos.
E, sobretudo (justiça seja feita) como lugar de trabalho.
Dessa versão do trabalho essencial para nos humanizarmos:
a co-laboração, deixando que outros toquem o nosso coração!

Daí este convite:
num exercicio (notável!) de abertura da FCT a outros saberes, e ao saber doutros,
e face aos labirintos da vida,
lanço o desafio a que se disponha a ouvir e a perguntar
o que significa a acreditar, com razoabilidade (!) em Jesus Cristo,
num laboratório de partilha de testemunhos, no próximo dia 22 e 29, às 14h, no auditório da biblioteca

Sem comentários:

Enviar um comentário