Páginas

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Seminário | Materiais Orgânicos para Aplicação em Óptica e Fotónica


Paulo António Martins Ferreira Ribeiro
Recebeu em 1999 o grau de Doutor em Ciências e Engenharia dos Materiais pela Universidade de São Paulo, Brasil. Desde 2000 é Professor Auxiliar no Departamento de Física da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa onde se tem dedicado ao ensino de Óptica e Fotónica bem como à organização sessões didáticas e exposições nesta área. É Membro do Centro de Física e Investigação Tecnológica (CEFITEC) desde 2000, membro fundador do grupo de I&D Sistemas Moleculares Funcionais, do CEFITEC, em 2008, onde tem vindo a dedicar-se ao desenvolvimento e caracterização de filmes finos de moléculas funcionais orgânicas para aplicações em Óptica e Fotónica. Como resultado das suas atividades de pesquisa conta com, quatro capítulos de livros, cerca de 40 artigos em revistas internacionais indexadas, cerca de 100 comunicações em anais de eventos e uma patente, tendo um índice de publicações ISI Web of Science h de 11. Desde 2013, tem presidido à série de conferências PHOTOPTICS, uma nova série de eventos científicos internacionais no âmbito da Fotónica Óptica e Tecnologia de lasers.

Sistemas Moleculares Orgânicos para Aplicação em Óptica e Fotónica
Atualmente, grande parte do processamento de informação é realizada na forma digital, com crescentes exigências na capacidade e rapidez de processamento de sinais, a qual é limitada não só pelo tempo de comutação do transístor bem como pela interferência resultante da comutação elétrica a alta frequência. Neste aspeto a invenção do laser, em particular do díodo laser, e da tecnologia das fibras ópticas permitiram revolucionar a maneira de como hoje em dia se processa informação, indo ao encontro das necessidades crescentes. De facto, a implementação em larga escala da fibra óptica nas redes de telecomunicação em substituição dos tradicionais cabos elétricos veio tornar possível a transferência de enormes quantidades de informação a alta velocidade, sem perdas significativas e sem ser afetada pelo ruído electromagnético circundante. Sendo a luz o portador de sinal surge a necessidade em se desenvolverem novos dispositivos tais como comutadores, amplificadores, moduladores, limitadores, multiplexadores, filtros, e memórias ópticas capazes de processar sinal óptico. O desenvolvimento de dispositivos que permitam operar com a luz abre o campo da óptica integrada, a fotónica. As vantagens principais da aplicação da óptica integrada para comunicação e processamento de informação são aplicação dos princípios já existentes para a eletrónica convencional, com a possibilidade de comutação ultra-rápida de dispositivos ópticos. Desta forma poder-se-á optimizar a capacidade de uma fibra óptica de transmitir informação. O desenvolvimento de dispositivos fotónicos requer não só o desenvolvimento de novos materiais com propriedades adequadas quando interagem com a luz mas também a adequação das técnicas de integração. Nesta conformidade serão apresentadas algumas propriedades relevantes que os materiais deverão ter para serem utilizados no desenvolvimento de dispositivos dando particular ênfase aos sistemas moleculares orgânicos, por possibilitarem fácil processamento e manipulação molecular, tornando-os assim interessantes para a produção em larga escala.





Sem comentários:

Enviar um comentário