Avançar para o conteúdo principal

NYC Notes#1 e NYC Notes#2 | Video



Os vídeos NYC Notes#1 e NYC Notes#2 (no âmbito da iniciativa cultura_online) resultam de um convite feito a Rita Barros, que expôs em 2014 na Biblioteca da FCT NOVA, com curadoria de Jorge Calado, “BOHEMIA - Vida e Morte no Chelsea Hotel” (fotografias 1987-2014). Esta exposição este na base da edição de um livro “BOHEMIA | Life and Death in the Chelsea Hotel”, publicado pela IST Press e apoiado pela Secretaria de Estado da Cultura. 


NYC Note#1 | Vídeo

NYC Note#2 | Vídeo


Os vídeos NYC Notes#1 e NYC Notes#2 (no âmbito da iniciativa cultura_online @Biblioteca FCT NOVA) apresentam apontamentos pessoais, que não seguem uma linha, cronológica, da vivência da pandemia e confinamento em Nova Iorque até à data. O som que acompanha foi gravado nas ruas e parques da cidade, na qual, em Março foi decretado o estado de emergência. Apenas os serviços básicos se mantiveram activos.
Instalou-se, então, um silêncio pontuado pelas sirenes das ambulâncias que nos vinham lembrar a realidade da pandemia com os seus milhares de mortos e hospitalizados.
Regularmente fiz grandes caminhadas pela cidade meia deserta. Nos parques foi a descoberta da grande diversidade de pássaros com o seu canto maravilhoso e inaudivel com a cacafonia da cidade de outrora. Fotografar pássaros constitui um verdadeiro exercício de humildade pela paciência que exige, a dificuldade que representa.
Entretanto, a notícia do assassinato do George Floyd, no estado do Minnesota, foi o catalizador de manifestações espontâneas contra o racismo acompanhadas de motins e vandalização de lojas. De imediato, se ergueram contraplacados como meio de proteção que foram reclamados pelos artistas, sobretudo na zona do bairro de SoHo. Durante umas semanas, essas barreiras protectoras, foram o suporte de uma verdadeira exposição de arte urbana, homenageando o movimento Black Lives Matter.
Estas manifestações, que duraram vários meses, foram um verdadeiro grito de desespero e apelo à justiça por parte da população.
Nova Iorque foi-se adaptando às dificuldades do isolamento, do desemprego e do êxodo de muitos dos habitantes que optaram por ir viver para outros estados. A morte da Juíza do Supremo, Ruth Bader Ginsberg, mais conhecida pelas siglas RGB, que era e continua a ser um verdadeiro ídolo, foi outro momento marcante, num tempo de grandes fracturas e incertezas.

Rita Barros
27 de outubro 2020

Resume:
Rita Barros vive em NY desde 1980, é professora adjuncta na NYU (New York University). Tem um mestrado em 'Art in Media: Studio Art' pela New York University/ International Center of Photography. É autora do livro “Fifteen Years: Chelsea Hotel”, Câmara Municipal de Lisboa, 1999.
O seu trabalho tem sido apresentado em inúmeras exposições colectivas e individuais: no PS1, Briggs & Robinson Gallery, Exit Art, Nathalie Karg Gallery (NYC); Center for Photography em Woodstock, (NY), Wilfredo Lam Contemporary Art Museum (Havana, Cuba); Encontros de Coimbra (Coimbra), Museu da Água (Lisboa), Museu de Arte Contemporânea de São Paulo (São Paulo, Brasil), Photo España 07 (Emerging Talents) no Museo de Arte Contemporânea (Madrid), Flash Art Fair (Milão), na Paris Photo 2009 e 2010 com a Galeria Pente 10, na Fundação Gulbenkian (Paris), na Biblioteca da FCT NOVA (Campus de Caparica), no Summer Show da Royal Academy of London e no Kohler Arts Center no Wisconsin.
Barros está representada em várias coleções de arte portuguesas e estrangeiras nomeadamente; Museu de Arte Contemporânea de Serralves, Coleção do Novo Banco, Portugal Telecom, Centro Português de Fotografia, Fundação Calouste Gulbenkian, Fundação PLMJ, Museu da Cidade de Lisboa, Centro de Arte Contemporânea de Almada, Coleção Norlinda e Jorge Lima, Museu de Arte Contemporânea de São Paulo, New York Public Library, Casa de Las Américas em Havana, Kohler Arts Center no Wisconsin, Falles Collection.
Os seus retratos e paisagens urbanas foram publicados em numerosas revistas europeias e americanas incluindo o New York Times, Newsweek, New York Magazine, Brooklyn Rail, Nouvel Observateur, Vogue, Elle, GEO, Zoom, Expresso, La Vanguardia, Le Monde.

Rita Barros na Biblioteca FCT NOVA
2014, exposição “BOHEMIA - Vida e Morte no Chelsea Hotel”, Fotografias 1987-2014, com Curadoria de Jorge Calado.
Conversa na Biblioteca: "Viver e Fotografar no Chelsea Hotel" com Rita Barros, Jorge Calado, José Moura (moderador). 
Edição do Livro: BOHEMIA, “Life and Death in the Chelsea Hotel”, de Rita Barros, Secretaria de Estado da Cultura, FCT NOVA e IST Press. 

Saber mais sobre a artista
Imprensa:
TVI 24
Expresso
Artecapital

Comentários