Avançar para o conteúdo principal

WEBINÁRIO | ALGA4FOOD

 


Entrar na reunião Zoom aqui.
ID da reunião: 862 2774 3973
Senha de acesso: 771257

Macroalgas - uma fonte alimentar relevante. Estratégias para a sua introdução na dieta portuguesa.

Num mundo em que os alimentos estão se tornando escassos devido à elevada procura e à população, e nos quais há uma crescente preocupação com a produção sustentável de alimentos e a saúde, nutrição e inovação são cada vez mais valorizadas, as algas podem ser uma solução viável para superar alguns dos desafios. A introdução de algas na alimentação é considerada de grande importância em termos económicos, nutricionais, de saúde e ambientais. 

O consumo de algas marinhas na alimentação dos portugueses tem pouca expressão, ao contrário do que acontece há séculos em muitas outras culturas. No entanto, temos uma extensa costa (1860 km) com uma impressionante variedade de algas (cerca de 400), e uma produção de aquacultura considerada entre as melhores do mundo. As algas têm enormes potencialidades no contexto da sustentabilidade, das restrições alimentares várias, e até mesmo para diversificação de fontes de alimentos e experiências gastronómicas. O interesse pela sua introdução na alimentação tem sido crescente no mundo ocidental, pois têm-lhes sido associados benefícios nutricionais relevantes (são ricas em proteínas e fibras dietéticas, vitaminas, oligoelementos, minerais e ácidos gordos poliinsaturados tipo ω-3 e ω-6) associados à saúde e bem-estar. São, por isso, consideradas como alternativas alimentares importantes e sustentáveis. Pensamos que num País onde os produtos do mar fazem desde sempre parte da cultura e da gastronomia, seria relevante estudar as características das suas algas e as potencialidades gastronómicas das mesmas. 

O Projeto ALGA4FOOD (https://alga4food.wixsite.com/page) visa aumentar a diversidade e qualidade das algas da costa portuguesa disponíveis para consumo humano. Isso envolve o desenvolvimento de novas técnicas de conservação que permitem maximizar as características organolépticas e nutricionais do produto acabado, bem como possibilitar formas mais convenientes de uso pelos consumidores finais. Adicionalmente, pretende-se desenvolver novas estratégias e produtos que possam contribuir para a mudança dos hábitos alimentares portugueses. A avaliação da adequação das novas técnicas de conservação e dos produtos obtidos será feita por meio da determinação quantitativa de parâmetros como cor, textura, conteúdo umami e libertação de voláteis, estes serão posteriormente correlacionados com dados de análise sensorial. O Alga4Food pode constituir um contributo significativo para uma promoção eficaz da introdução de algas na alimentação portuguesa.

miniCV

João Paulo Noronha é licenciado em Ciências Farmacêuticas pela Universidade do Porto. Desde 1990, é docente da Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Nova de Lisboa (FCT-UNL). Desde o Doutoramento em Química Orgânica pela FCT/UNL em 2001 até ao presente é Professor Auxiliar na FCT-UNL. É investigador REQUIMTE-LAQV. (H‐index 28; >2268 citations; ORCID 0000-0002-1515-4518). Desenvolveu a sua carreira, focado na área da Química Analítica/Orgânica, com participação em 15 projectos de investigação científica. Supervisionou ou supervisiona um total de 8 alunos de doutoramento, 4 alunos de pós-doutoramento, 18 Mestrandos e 23 estudantes de licenciatura. Lidera uma equipa constituída por 2 investigadores seniores e 2 estudantes de doutoramento. Possui cerca de 90 publicações em revistas internacionais indexadas.

Este webinário inicia as celebrações do Ano Internacional das Frutas e Vegetais 2021.



Comentários